Lygia Fagundes e Décio Pignatari são protagonistas do Letra Livre

Da Assessoria de Comunicação da TV Cultura

Foto: Jair Bertolucci

Lygia Fagundes e Décio Pignatari

O apresentador Manuel da Costa Pinto recebe nesta edição do Letra Livre, que irá ao ar na quinta-feira (3/6), os escritores Lygia Fagundes Telles e Décio Pignatari, direto da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, onde os dois escritores se formaram nos anos 40.  O programa vai ao ar a partir das 23h, na TV Cultura.

No programa, Manuel aborda os escritores sobre suas memórias na Faculdade São Francisco, como conheceram Mário e Oswald de Andrade, Paulo Emílio Sales Gomes e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos. Entre os temas enfatizados durante a conversa estão o processo de criação para os dois intelectuais, a poesia concreta de Décio e a influência de Machado de Assis.

Autora de clássicos da literatura brasileira contemporânea com os romances Ciranda de PedraAs Meninas, e os livros de contos Antes do Baile Verde Seminário dos Ratos, Lygia Fagundes Telles nasceu em São Paulo , em 1923. Escritora em que a sensibilidade feminina ultrapassa qualquer rótulo, seus livros conferem ao universo afetivo e familiar um sentido político e social que em muitos momentos deriva para a narrativa fantástica e para o onírico. Lygia também é autora de Capitu, roteiro baseado no romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, em parceria com o escritor e crítico de cinema Paulo Emilio Sales Gomes, com quem foi casada.

Protagonista da poesia concreta – mais importante movimento de vanguarda do País nas últimas décadas – Décio Pignatari nasceu em 1927. Criou com os irmãos Haroldo e Augusto de Campos a revista Noigandres – onde lançou as bases de uma poesia experimental, que abolia o verso e explorava os aspectos visuais e verbais da palavra. Depois de Poesia Pois É Poesia, livro que sintetiza sua trajetória revolucionária, enveredou pela prosa – no romance Panteros e em Bili com Limão Verde na Mão(ficção para público juvenil) – e pelo teatro – como na peça Céu de Lona, que tem Machado de Assis e sua mulher Carolina como personagens. Décio Pignatari também tem uma obra fundamental como tradutor e teórico da comunicação.

Largo do São Francisco

Instalada inicialmente num convento do século XVI, e a partir da década de 1930 no monumental edifício das Arcadas, foi na Faculdade de Direito de São Francisco que eclodiu a poesia romântica de Álvares de Azevedo, Castro Alves e Fagundes Varella.  De lá para cá, inúmeros escritores saíram de lá para mudar os rumos da literatura brasileira, desde os modernistas Alcântara Machado e Monteiro Lobato até renovadores da prosa, como Hilda Hilst, Raduan Nassar e Lygia Fagundes Telles, e poetas de vanguarda como Décio Pignatari e os irmãos Haroldo e Augusto de Campos. Um movimento incessante, que continua a fervilhar nas atividades culturais e literárias dos alunos do Centro Acadêmico XI de Agosto, a mais tradicional entidade estudantil do país.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s