Coletânea traz o desespero das imagens de Kafka com ilustrações

Desenho de Heidelbach no conto ‘O chinês’: retrato de situações inusitadas

O prazer de ler um livro é o de se deixar transportar para outro tempo, outro lugar, outra realidade, enfim, outro senso fora daquele entendimento imediato das coisas.  No caso das obras do escritor judeu Franz Kafka (1883-1924), essa ‘viagem’ significa ir um pouco além das expectativas e mergulhar na realidade dos tormentos do homem, que o escritor tão bem soube materializar, como no famoso conto ‘A metamorfose’.

Uma seleção de histórias entre os diários e obras do autor, que nasceu em Praga e tardiamente passou a ser considerado um dos maiores do século 20 em língua alemã, é publicada agora pela editora Martins Fontes, sob o título ‘Oportunidade para um pequeno desespero’. Com 26 contos, a publicação é organizada por Nikolaus Heidelbach, escritor e desenhista alemão, que também agrega 24 desenhos ao universo kafkiano, explorando a sempre inusitada assimetria da figura humana e a falta de fronteiras entre civilidade e irracionalidade.

O título é uma referência ao livro ‘O Castelo’, quando o personagem K. encontra-se na rua, com os pés afundados na neve e pensa: “Oportunidade para um pequeno desespero”. Em comum entre os textos selecionados por Heidelbach, está o aspecto da parábola, tipo de narrativa que representa as coisas de forma figurada, ou disfarçada, como, por exemplo, as bolas de celuloide que atormentam Blumfeld, sempre pulando atrás dele, perseguindo-o onde quer que ele esteja dentro de casa.

O aspecto absurdo e fantástico de uma situação inicialmente estranha ganha sentido ao longo do texto e o leitor compreende qual é o objeto da crítica do escritor.  A burocracia da administração e o trabalho como instrumento de humilhação e dominação são temas constantes do autor, que foi advogado e trabalhou com companhias de seguros em sua cidade.

A vaidade e o lado animal do ser

Outra interessante parábola o leitor encontrará no conto ‘Em nossa Sinagoga vive um animal’, sobre um ser estranho, algo próximo de uma fuinha, com o pêlo meio azulado e pescoço comprido, que vive a espreitar os fiéis na igreja, principalmente a área em que as mulheres ficam separadas. Kafka constrói uma singular analogia sobre como os homens e as mulheres lidam com a animalidade. Confira este trecho do conto:

“Além disso, não é o temor tampouco a curiosidade que mantêm as mulheres em movimento, se elas se ocupassem mais das orações, poderiam esquecer o animal completamente, e as mulheres devotas o fariam se as outras, que são a grande maioria, deixassem, mas estas sempre querem chamar a atenção para si e o animal é, para tanto, um pretexto bem-vindo”.

Oportunidade para um pequeno desespero,

Franz Kafka, com organização e ilustração de Nikolaus Heidelbach, tradução de Renata Dias Mundt, Editora Martins Fontes, SP, 2010, 118 págs.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s