Surdo

Meu olhar que de repente procura

o mesmo céu

onde nada acontece

 

o mesmo mudo

 

sem nenhum porquê

me formulo

em teu mesmo azul surdo

 

me deseja

que um mundo seguro

 

me devolva a palavra que seja

me espelha

 

o maior absurdo

 

Henrique Barreto 

O autor tem 27 anos e há três mantém suas poesias no projeto saopoesias.wordpress.com. Deseja publicar seu primeiro livro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s