Vale

O universo e o mar são infinitos

iguais

aos olhos de um homem

 

Pequenos ou nem tão pequenos

talvez sejam imensos

escuros

 

quando descanso eternamente na areia

 

constelações que imagino

peito adentro

se alguma estrela me olha.

 

se essa calma

 

vale de coisa alguma.

 

Henrique Barreto 

O autor tem 27 anos e há três mantém suas poesias no projeto saopoesias.wordpress.com. Deseja publicar seu primeiro livro.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s