Correio Elegante

Mãe é mãe. Disso todo mundo sabe. Não seria ela a negar a regra.

Acompanhava de longe a agonia disfarçada do filho, o mais lindo, gordo e rejeitado de todos os colegas de classe. Menino estudioso, rapaz de futuro.

Mãe não perde um lance. E ela não perdia. Mãe judia. Festa junina.

Como o filhinho mais lindo, gordo e rejeitado de todos, não recebia, ao contrário dos coleguinhas, nenhum correio elegante, tratou de tomar as providências: enviou ao rebento predileto um bilhete da hora:

“Sempre te amei, jamais deixarei de te amar, nunca pense em outra mulher, pense só em mim”.

O gorducho sorriu de satisfação, como há muito não se via. Atirou o saco de pipoca no chão. Deu de ombros para o churrasco.

Exibido, mostrou o recado aos colegas, sem atentar para um detalhe fundamental – a assinatura: “Mamãe”.

 

Orlando Silveira orlandosilveira@uol.com.brorlando3

Blog: http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s