‘Anatomia do Cavalo’ estreia na Funarte com entrada franca

Por Mauro Fernando

maurofmello@yahoo.com.br

O coreógrafo, bailarino e ator Marcos Moraes explora a confluência entre a dança contemporânea e a performance: o solo Anatomia do Cavalo estreia hoje no Complexo Cultural Funarte, na capital paulista. A entrada é franca. O espetáculo integra o projeto A Cozinha Performática, que engloba o lançamento, no dia 22, do livro de mesmo nome (coordenação editorial de Ana Teixeira) e do vídeo Sabroso (direção de Osmar Zampieri), além da performance Outros Usuários (com Moraes e Sheila Ribeiro), realizada no mês passado.

Moraes e Luis Ferron assinam a concepção de Anatomia do Cavalo. A direção é de Ferron. O intérprete conta que o solo “tem a ver com a dança tangenciando a performance”, que a intenção é “trabalhar nessa fronteira”. De acordo com ele, “a performance é um lugar que resiste a definições, um modo de criar que não se adequa a um formato já existente”. “Cada performance justifica sua existência.”

Desejo, liberdade, potência e vitalidade movem Moraes (foto: divulgação)

Desejo, liberdade, potência e vitalidade movem Moraes (foto: Marcella Haddad)

Uma das preocupações do espetáculo é a manutenção da “tensão entre a representação e a não-representação, entre a ação cotidiana e a ação cênica”. “É um jogo cênico, há uma construção dramatúrgica”, resume Moraes. Outra das inquietações artísticas é modificar a postura do espectador, afastá-lo de uma atitude passiva. Isso, porém, não implica em colocá-lo na cena. A ideia é buscar “a proximidade com o público, a cumplicidade, o acesso direto”.

Do ponto de vista da dança”, explica o intérprete, “Anatomia do Cavalo aposta no movimento”. Memória e presente são questões pertinentes às dinâmicas corporais com que ele trabalha. “A memória, a experiência acumulada como artista e como pessoa, está no corpo.” O título do solo remete a diversas possibilidades de leitura, e Moraes não as fecha. “Há vários significados, pessoais e de vários tipos.” “Desejo”, “liberdade”, “potência” e “vitalidade”, entretanto, são palavras-chave.

O projeto A Cozinha Performática, “uma plataforma colaboradora de pesquisa que envolve mais de 40 pessoas”, tem o apoio do Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo. Para o intérprete, o Fomento à Dança, criado em 2006, provocou uma movimentação econômica no setor, com maior oferta de trabalho. “Melhorou as condições para o surgimento de coletivos e de artistas e aumentou o público, mas ainda não é o suficiente.” Uma das carências, diz, é a difusão. “O desafio é trazer mais pessoas para o desfrute de bens culturais.”

SERVIÇO

ANATOMIA DO CAVALO. Concepção de Luis Ferron e Marcos Moraes. Direção de Luis Ferron. Com Marcos Moraes. No Complexo Cultural Funarte. Alameda Nothmann, 1.058, São Paulo, SP. Fone (11) 3662-5177. Quintas a sábados, às 20h, e domingos, às 19h. Até o dia 25. Entrada franca. Recomendação: livre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s