Fruto de ampla mobilização cidadã, Cine Belas Artes reabre no dia 19

Um dos mais tradicionais cinemas de rua de São Paulo reabre as portas no sábado, 19 de julho, às 16h; consolidação do espaço como patrimônio afetivo, cultural e histórico será assegurada por conselho proposto pelo MBA, movimento que liderou desde 2011 a campanha pela sua retomada

Belas artes

Mobilização: resgate do espaço que é referência do cinema de arte na cidade (foto: MBA)

Programada para o próximo sábado, dia 19 de julho, às 16h, a reabertura do Cine Belas Artes sacramentará a vitória de uma mobilização cidadã protagonizada pelo Movimento Cine Belas Artes (MBA), que levou ao reconhecimento desse tradicional cinema da Rua da Consolação, 2.423, como patrimônio de São Paulo e do Brasil.

Criado em janeiro de 2011 após o anúncio do fechamento, o MBA é composto por frequentadores e cidadãos que acreditam na valorização dos cinemas de rua e na proteção de espaços culturais como fundamentais para a construção de uma São Paulo mais acessível e humana¹.

Ao longo desses mais de três anos, o MBA promoveu inúmeras atividades públicas e negociações com representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Ministério Público e das três esferas do governo (municipal, estadual e federal)², com destaque para a liminar concedida pela Justiça em dezembro de 2011, que reabriu os processos de tombamento, impedindo que o prédio fosse demolido ou transformado em shopping center ou loja de departamentos.

No início de 2013, o MBA conseguiu sensibilizar o então recém-empossado Secretário Municipal da Cultura, Juca Ferreira, a assumir a mediação de difíceis negociações visando à retomada das atividades. Na falta de dinheiro para comprar o edifício, estimado em R$ 10 milhões, a prefeitura costurou o apoio da Caixa, que investirá R$ 1,8 milhão ao ano para patrocinar o cinema, suficiente para cobrir o valor aluguel. Assim, o espaço reabre como Cine Caixa Belas Artes.

Acreditamos que apenas esforços conjugados entre a sociedade civil, o poder público e a iniciativa provada poderão fortalecer de um modelo inovador de preservação de espaços relevantes para a população, como os cinemas de rua. Nesse modelo, a comunidade passa a cuidar de seus patrimônios culturais respaldada por políticas públicas e investimentos públicos e privados.

Para entrar no negócio, a Caixa condicionou a liberação dos recursos a contrapartidas estabelecidas no acordo de cogestão entre o gestor privado e a Secretaria Municipal de Cultura para baratear os ingressos, ocupar o período matutino com atividades para escolas (proposta do MBA) e reservar o uso de uma sala para a SPCine, com exibição de filmes nacionais, e mostras da Caixa Cultural.

O MBA também propôs a criação do Conselho de Amigos do Cine Belas Artes, que foi incluído no acordo de cogestão e será fundamental para que o cinema se consolide como patrimônio da cidade e preserve seus valores fundadores³.

Em um contexto de ampla hegemonia do mercado imobiliário no desenvolvimento urbano do país, a reabertura do Belas Artes dará nova vida às calçadas da Consolação e novo fôlego às lutas por mais cultura, cidadania e sustentabilidade nas cidades brasileiras.

Novo site no ar – O MBA lança seu site oficial, no qual é possível ler artigos e notícias sobre a luta pela retomada do cinema, acessar documentos e entender cronologicamente a história do Movimento e suas conquistas. O site está totalmente aberto a comentários e sugestões para a continuidade da mobilização cidadã. Acesse:

www.movimentocinebelasartes.com.br

 

Reabertura do Cine Caixa Belas Artes
Solenidade aberta ao público
Dia 19 de julho, sábado, às 16h
Na Rua da Consolação, 2.423, em frente ao cinema

Notas

¹ O MBA também conta com o apoio das seguintes entidades: Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas/Seção São Paulo (ABD/SP), Associação Paulista de Cineastas (Apaci), Associação Preserva São Paulo, Conselho Brasileiro de Entidades Culturais (Cebec), Movimento Defenda São Paulo, Sociedade Amigos e Moradores do Bairro Cerqueira César (Sammorc) e Via Cultural – Instituto de Pesquisa e Ação pela Cultura.

² Também organizou eventos e debates públicos, produziu dezenas de documentos e articulações para o tombamento do espaço, conquistou a adesão de aproximadamente 90 mil pessoas à causa contra o fechamento do cinema na plataforma Causes, o apoio de mais de 100 personalidades em seu Manifesto e abaixo-assinados com 28 mil assinaturas, participou de audiências públicas na Câmara Municipal e na Assembleia Legislativa de SP, foi uma das forças mais influentes nas discussões sobre cultura na revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE) da cidade ao longo de 2013 e 2014 e propôs ao Secretário Juca Ferreira, que mediasse negociações visando a reabertura do Belas Artes – o que resultou na parceria com a Caixa Econômica Federal, que aportará R$ 1,8 milhão por ano para o pagamento do aluguel. Ver mais na Linha do Tempo do movimento em www.movimentocinebelasartes.com.br/linha-do-tempo

 ³ O MBA propõe, ainda, a criação do Corredor Cultural Consolação/Paulista, no contexto do Território de Interesse da Cultura e da Paisagem (TICP) – instrumento incluído na revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE), que visa promover a revitalização do espaço público, fomentando equipamentos culturais e incentivando a indústria criativa, os negócios sustentáveis, as galerias comerciais e o comércio de rua. Mecanismo formulado em parte pelo MBA, o TICP servirá, ainda, para inspirar o estabelecimento de corredores culturais nas demais regiões da cidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s