Antes de votar, leia

Aloysio Biondi – Radiografia da privatização nos anos 90 (foto: divulgação)

Aloysio Biondi – Radiografia da privatização nos anos 90 (foto: divulgação)

Este é o mês da reta final para o primeiro turno de eleições e para ter mais segurança ao definir o voto algumas leituras podem ajudar. Uma delas, com certeza, é o livro ‘O Brasil Privatizado’, do jornalista Aloysio Biondi (1936-2000), lançado em 1999 como uma radiografia do processo de privatizações durante a gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Esse livro acaba de ganhar uma nova edição pela Geração Editorial, em que recebe introdução assinada pelo jornalista Janio de Freitas e prefácio de Amaury Ribeiro Jr., autor de ‘A privataria tucana’, da mesma editora, título que também se debruça sobre o assunto polêmico. Se não fizer questão do exemplar em papel, o leitor pode copiar uma versão em PDF no site da Fundação Perseu Abramo, que publicou a primeira edição do livro.

É importante ler sobre as privatizações para compreender um pouco sobre os interesses que estão em jogo na disputa pelo poder. Há, digamos, duas grandes tendências entre os candidatos: de um lado, a agenda liberal de Aécio Neves e Marina Silva, que defendem as privatizações e um estado de mínima interferência na economia e na vida cotidiana; e de outro a agenda de Dilma Rousseff e dos candidatos progressistas, em que o estado exerce interferência na economia, é voltado ao combate à pobreza e à prestação de serviços para reduzir desigualdades sociais históricas.

No livro, Biondi mostra que, em vez de defender o interesse do consumidor brasileiro, a agenda liberal dilapidou o patrimônio público do País ao abrir sem precedentes oportunidades de lucros para as empresas que adquiriram as estatais.

Com a apuração de dados oficiais da época, o jornalista demonstra que os propalados R$ 85,2 bilhões arrecadados com a venda de 48 empresas estatais viraram nada diante das contas escondidas do processo, como vendas de estatais a prazo, dívida dessas empresas que o governo “engoliu” para saneá-las, investimentos feitos antes da privatizações, demissões e indenizações trabalhistas que o governo fez, também para “limpeza”, entre outros fatores, perfazendo um total de R$ 87,6 bilhões.

Outro livro que o leitor encontra na Fundação Perseu Abramo é ‘A Armadilha da Dívida’, de autoria do economista Reinaldo Gonçalves e do historiador Valter Pomar, mostrando como a dívida pública interna prejudica o desenvolvimento do País que, no lugar de investir em obras sociais, tradicionalmente tem carreado a maior parte de seus recursos para cobrir custos financeiros. Essa é uma realidade que precisa mudar em um ritmo mais acelerado do que tem acontecido nos últimos anos.

2 pensamentos sobre “Antes de votar, leia

  1. Seu artigo no Metronews foi uma agradável surpresa nesta manhã de segunda. Tenho tentado alertar pessoas de meu convívio que estamos correndo nestas eleições sério risco de perdermos avanços importantes nas áreas econômica e social. Vou replicá-lo, com o devido crédito!

  2. Oi, Monica, que bom que você compartilha dessas ideias. Creio que pensar na questões sociais ao votar é um ato de nobreza, porque significa perceber que a coletividade é mais importante do que anseios individuais. Grande abraço,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s